A Ciclus transforma o que poderia se tornar passivo ambiental em ativos com valor agregado
A oportunidade de um futuro melhor


Ontem ex-catadores e hoje colaboradores da CTR Rio, Marcos Antônio Silva Ramos e Gilberto Damião de Santana viram suas realidades mudarem completamente a partir do ingresso no Plano de Gestão Socioambiental da Ciclus. Os dois atualmente comemoram a oportunidade de trabalhar com a carteira assinada e as recentes promoções dentro da empresa, passando de ajudantes operacionais a operadores de máquina de campo.

Na Ciclus há um ano e nove meses, Marcos Antônio fez um curso de operador de escavadeira e há cinco meses foi promovido. Casado, com uma filha de dez anos, ele enxergava no lixão de Seropédica uma oportunidade de negociar o material plástico que ali chegava com uma fábrica de plásticos, seu antigo trabalho. “Aqui na Ciclus é melhor, não é um serviço pesado, e posso falar que tenho uma profissão. Muitos tiveram essa oportunidade através do PISCA”, disse.

Gilberto Damião, quando mais jovem, procurava auxiliar a família catando material reciclável no Lixão de Itaguaí. Era a maneira de ajudar em casa, na época sustentada pelo irmão (já falecido) que vendia doces. Solteiro, com uma filha de nove anos, hoje ele celebra um trabalho mais ameno. “ Não trabalho mais com poeira, nem na chuva, é mais tranquilo, se está calor eu ligo o ar condicionado”, falou o operador de máquina de campo.


voltar