A Ciclus transforma o que poderia se tornar passivo ambiental em ativos com valor agregado
Cooperativa de catadores é formalizada com apoio da Ciclus


Os catadores do antigo lixão de Seropédica já possuem sua cooperativa. No fim de agosto, 25 pessoas atendidas pelo Plano de Inserção Social dos Catadores (PISCA) da Ciclus formalizaram a Cootraser (Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Seropédica Ltda). O trabalho da cooperativa será voltado para a coleta seletiva de resíduos e é uma iniciativa dos catadores, contando com várias parcerias.

O primeiro contato estabelecido foi com uma incubadora de cooperativas do Instituto de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE-UFRJ), onde o grupo passou a frequentar um curso de formação em cooperativismo. Em maio deste ano, o PISCA iniciou suas atividades e tomou conhecimento dessa participação dos catadores no curso da COPPE. Coube à COPPE o apoio técnico, enquanto a CICLUS ofereceu aos catadores logística de transporte, cursos de preparação profissional e buscou articular outras parcerias, para agilizar o processo de legalização da cooperativa. A Fundação Leão XIII ajudou a regularizar os documentos necessários e os catadores foram encaminhados aos programas de proteção da Assistência Social.



Hoje os catadores olham a cooperativa com esperança. A perspectiva é que possam aumentar sua renda, gerar mais empregos e mudar suas vidas. A principal preocupação dos catadores é dar mais oportunidades para sua família. "Quero ganhar bastante dinheiro para construir a minha casa e dar um futuro melhor para meu filho", afirmou a ex-catadora de Seropédica, Márcia Cristina Nunes.


voltar